Digite aqui qualquer palavra que faça surgir alguma poesia

Cinéfilo de Carterinha



Tá, eu tenho que confessar...
Sou um cinéfilo de carterinha,
Muito obrigado...
Agora,
Deixa eu começar
A lista dos meus filmes mais votados...

Em primeiro lugar,
(E sem querer menosprezar)
Vou citar,
Aquele da minha mãezinha,
A Santa Lúcia de Todo Dia!
Vencedor de duas estatuetas
A de mãe querida
E a de mãe verdadeira!

Em segundo lugar,
(com aquele gosto de empate)
Vai para meu Pai amar
Um homem de mil debates!
Clássico cult do cinema da vida
É a história de Zé Luis
Um homem que tem
Um coração para mais
De mil famílias...

Na terceira colocação
(lembrando que isso não é competição),
Um dos filmes mais engraçados do ano
A barbara Bárbara!
Um clássico da comédia barata,
Ganhador de mil conversas sem graça
E vencedor dos assuntos em casa!

O quarto, e penúltimo,
É uma trilogia
              [Meu Vô, minha Vó e eu no fundo,
São curtas sobre lições de vida
Ditados caseiros
E muito almoço de domingo
Tem lá seus jogos de tabuleiro
Baralhos e buracos sem trunco,
Tão curto,
Que sem hesitar
Marcou minha infância
E entra na lista
Porque amar
Foi absorvi desse longa!

Agora...
Enfim, o quinto,
                            [o último,
E esse só entra na galeria
Por mera questão de orgulho
Sim...
É um que tenho que me orgulhar
De ter-lo dirigido até aqui...
Bem...
Agora que não é mais meu
Que céu ele pode alçar
Se tua história não tem fim?
Não...
Não é nenhuma fantasia...
É uma ficção-poesia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário